Vinho Rosé, o queridinho do verão!

Com a primavera aí nada como beber um bom vinho rosé, mas você já parou para pensar como eles são feitos, quais os melhores rosés e por que o tom rosa?

Nesse artigo você irá descobrir tudo a respeito dos vinhos rosé e com certeza irá se apaixonar.

O que é um vinho rosé?

Por muito tempo as pessoas tinham como crença que o vinho tinto era superior ao vinho branco, então  em geral acreditavam que o vinho rosé seria um meio termo entre os dois e teria uma baixa qualidade, mas essa ideia foge de ser verdadeira e hoje é um estilo de vinho com o  maior crescimento no mercado consumidor.

O vinho rosé tem como principais características sua leveza, aromas de frutas e flores, frescor, coloração única e muita elegância, quanto ao sabor apresentam frutas vermelhas, frutas brancas cítricas, especiarias e vegetais como capim limão.

Geralmente suas garrafas são transparentes, estilosas e com rótulos lindos.

Como é feito um vinho rosé?

Basicamente o vinho rosé pode ser elaborado através de quatro técnicas:

Maceração curta ou rosé de maceration : Durante a maceração, que é o mesmo método utilizado para os tintos, o contato com as cascas é menor, podendo variar de algumas horas a poucos dias ,conforme o resultado que o enólogo deseja alcançar.

Saignée ou sangria: No início da  prensagem das uvas para fazer  o vinho tinto (entre 2 horas e 2 dias), é separada  a parte que já está com a coloração rosada, que representa cerca de 8 a 10% do líquido, essa parte é levada para ser fermentada separada  e dar origem a vinhos rosé geralmente de maior estrutura e maior concentração de cor.

Método de prensagem lenta: As uvas são prensadas lentamente para evitar que se rompam todas de uma vez , e quanto mais tempo o vinho fica em contato com as cascas mais escuro ele fica, geralmente o tempo é definido conforme o produtor quer o tom do rosé, por esse método geralmente são feitos os rosés mais claros e delicados.

Corte:  O produtor mistura uma pequena parte de suco de uvas tintas  em uma grande parte se suco de uvas brancas. É um método incomum, e mesmo parecendo fácil é difícil de ser feito, sendo mais utilizado na produção de alguns grandes espumantes rosé.

Os vinhos rosés, assim como os brancos apresentam uma acidez mais destacada, dando a sensação refrescante dos brancos e evitando a sensação de vinho “chato”, pois essa acidez faz com que ele tenha um potencial de guarda maior.

Para quem quer se aventurar pelos rosés seguem algumas ótimas sugestões:

Você encontra esses e outros vinhos a venda em nossa loja on-line www.emporiowiniarski.com.br, clique nas imagens e seja redirecionado. E aproveite as ofertas.

Texto escrito por Noema Uthman

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *